Filed Under:  Dicas

Azeite de oliva ajuda, sim, a emagrecer; saiba como consumi-lo da maneira certa

1st dezembro 2017   ·   0 Comments

Ele já um queridinho da dieta e isso não é a toa. Além de ser fonte de gordura boa, o azeite de oliva traz saciedade e cabe no cardápio de diversas formas

Não é de hoje que dizem por aí que o azeite de oliva extravirgem faz bem para a saúde. Recentemente, um estudo feito pela Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, mostrou que esse produto também ajuda, sim, a emagrecer. O segredo e entender como usá-lo a seu favor no dia a a dia para uma dieta saudável e equilibrada.

Com moderação%2C o azeite de oliva é muito bem-vindo na dieta

Com moderação, o azeite de oliva é muito bem-vindo na dieta

Foto: shutterstock

Para pesquisa, a universidade mineira observou, por nove semanas, 41 mulheres que estavam com excesso de peso e não tinham o hábito de consumir o azeite de oliva. Essas mulheres foram dividas em dois grupos. O primeiro deveria ingerir óleo de soja logo no café da manhã – 25 ml do produto. O outro incluiram a mesma quantidade de azeite extravirgem na primeira refeição do dia.

No estudo, publicado na revista “Saúde”, o óleo ou azeite foi incorporado a uma bebida feita com leite desnatado e algo que concedesse sabor, como polpa de fruta congelada, chocolate em pó ou capuccino. Além disso, ambos os grupos seguiram pelos três meses da pesquisa uma dieta com calorias restritas. A ideia era entender como os óleos agiriam no corpo nesse momento, quando há uma redução da ingestão calórica.

Depois do período do estudo, foi notado que o grupo que tomava o azeite de oliva extraviegem no café da manhã apresentou melhores resultads. Essas mulheres tiveram 80% a mais de perda de gordura que as outras que tomaram o óleo de soja. Além disso, foi vista uma redução nos níveis de pressão arterial do primeiro grupo.

Azeite para ajudar na redução de gordura corporal

Ainda de acordo com a pesquisa da Universide de Viçosa, perder gordura corporal é ótimo para quem quer emagrecer, mas os benefícios vão além disso. Esse resultado contribui para a redução das chances de doenças cardiovasculares e também da diabetes, por exemplo.

Conversamos com dois especialistas para entender melhor a ação do azeite no corpo e explicar esse resultado do estudo mineiro. O “poder” do azeite, segundo Alan Tiago Scaglione, nutricionista da Estima Nutrição e também especialista em Suplementação Nutricional aplicada ao Exercício pela USP, se dá porque ele é rico em gorduras mono e poli-insaturadas, que são gorduras boas para nosso organismo. Elas ajudam a reduzir o colesterol LDL (“colesterol ruim”) e também o colesterol total.

Azeite ajuda a reduzir a gordura corporal graças a maneira que é absorvido pelo corpo e também por dar uma sensação maior de saciedade

Azeite ajuda a reduzir a gordura corporal graças a maneira que é absorvido pelo corpo e também por dar uma sensação maior de saciedade

Foto: shutterstock 

Além disso, a maneira como nosso organismo lida com esse tipo de nutriente também é fundamental para o emagrecimento e para a redução da gordura coporal, como foi visto no estudo. “Essas gorduras não são estocadas em nosso organismo, e trocando o óleo de soja (rico em gorduras saturadas) pelo azeite, você diminuirá sua ingestão de gorduras saturadas, melhorando seu colesterol e diminuindo seu peso corporal”, detalha o nutricionista.

E ainda sobre os benefícios para a saúde, Letícia Fontes, nutróloga da Clínica MEI e membro da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia), lembra que o azeite também que nas gorduras monossaturas estão os ácidos graxos, principalmente o ômega 9, que tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.

Para quem quer emagrecer é importante se atentar ao consumo de gordura para evitar ainda mais problema com a balança. “Quando comemos demais, todo alimento ingerido que não será usado como fonte de energia em nosso organismo é estocado, e nosso estoque de energia são as gorduras. Aquilo que consumirmos de maneira correta e na quantia certa será usado como fonte de energia, assim não estocamos nada e não ganharemos peso”, explica Alan. Portanto, para perder peso é preciso equilibrar essa equação usando bons ingredientes em uma dieta equilibrada.

Ou seja, se consumido de forma exagerada, até o azeite vai fornecer mais energia do que é necessário para o corpo e haverá um ganho de peso. Mas com controle, ele contribui para o emagrecimento pelas suas propriedade e também porque aumenta a saciedade, já que leva mais tempo para ser digerido, como lembra Letícia.

Qual o melhor azeite para a dieta?

Nesse pontos, os profissionais concordam que a melhor escolha é aquela que contém a menor acidez, ou seja, o azeite de oliva extravirgem. “Uma das principais diferenças entre os azeites é sua pureza e seu nível de acidez. Quanto menor a acidez do azeite, mais qualidade e sabor ele tem”, afirma Letícia.

No caso do extravirgem, a nutróloga fala que a acidez máxima é de 0,5% e, portanto, trata-se de um produto que tem mais propriedades antioxidantes, que são aliadas do emagrecimento e da saúde. Alan já dá uma margem um pouco maior e afirma que, para ser de boa qualidade, o extravirgem deve ter uma acidez menor que 1%.

Posso usar o azeite para cozinhar?

Aposto que já escutou por aí que não se deve levar o azeite de oliva ao fogo ou ele perde as boas propriedades e “vira” uma gordura ruim. Isso tem um pouco de verdade. “Não é indicado que o preparo do alimento no fogo passe de 175 graus, pois a partir desta temperatura as gorduras mono e poli-insaturadas se quebram por não aguentar altas temperaturas e, sim, se transformam em gorduras saturadas que são ruins para nosso organismo”, comenta Alan.

Letícia concorda e diz que a tática para evitar problemas é usar fogo brando nos preparos com o azeite.

Outra dica da nutróloga é, para melhor conservação do produto, armazená-lo em um vidro escuro. Geralmentes eles já vem em embalagens nesse tom, mas é comum usar em casas ou ver em restaurantes aqueles vidrinhos decorativos para temperos. Cuidado para escolher um escuro para o azeite.

Também na hora de cozinhar, lembre-se que o produto é bastante versátil e, segundo os profissionais consultados, não há outro alimento que interfira em suas propriedades. “Nada vai atrapalhar os benefícios e a digestão do azeite, que por ser gordura já tem uma absorção mais lenta, porém, sempre que for usar em preparações quentes, lembrar de usar fogo baixo”, ressalta Alan.

Receitas com azeite

O nutricionista ainda cita algumas receitas simples para fazer em casa e usar o azeite de oliva da maneira correta na dieta.

Guacamole é uma maneira de incluir o azeite na dieta

Guacamole é uma maneira de incluir o azeite na dieta

Foto: shutterstock 

Guacamole: para o prato você vai precisar de 1 abacate, 1 tomate, duas colheres de azeite extravirgem e uma pitada de pimenta caiena. Basta misturar todos os ingredientes depois de amassar o abacate e picar o tomate. Além de conter as boas propriedades do azeite, também é um prato termogênico, ou seja, ajuda a acelerar o metabolismo e, com isso, a queimar mais gordura.

Salada de pepino: ela pode ser temperada com orégano e azeite extravirgem. “O pepino é um alimento termogênico, com baixíssimas calorias, riquíssimo em água e de difícil digestão, por isso também ajuda no emagrecimento”, fala Alan.

Filé de salmão: a ideia é usar o azeite de oliva estravirgem para grelhar o peixe. Para temperar, aposte nas ervas finas. “O salmão é rico em ômega 3, um óleo de excelente qualidade e essencial a nossa vida, que ajuda a reduzir o colesterol e na queima de gorduras”, comenta o nutricionsta.

Readers Comments (0)