Filed Under:  Esportes

Marta avisa que cobrança excessiva pode atrapalhar a Seleção na Olimpíada

20th julho 2016   ·   0 Comments

Jogadora falou sobre a responsabilidade em campo e não garantiu presença nos Jogos de Tóquio 2020

Rio – A seleção feminina de futebol já está reunida na preparação para os Jogos Olímpicos do Rio. Com a chegada de Marta a Itu, interior de São Paulo, o técnico Vadão pode contar com todos os nomes presentes na lista de convocação. A craque se juntou ao grupo e já participou das atividades ao lado das companheiras. Com duas medalhas de prata nos Jogos e eleita a melhor jogadora do mundo por cinco vezes pela Fifa, a jogadora participará da que pode ser sua última Olimpíada e falou da responsabilidade de ser um referencial em campo.

“A experiência de ter participado algumas vezes e estar na seleção há bastante tempo facilita no sentido de dar uma palavra para as meninas que irão disputar a primeira Olimpíada. Sei como é, a pressão vem de todos lados e sabemos disso. Vamos nos ajudando”, a jogadora pediu cuidado da equipe na hora de pensar nos resultados, para evitar uma pressão negativa:

Marta vai emprestar sua experiência e guiar o time na briga pela medalha de ouro

Marta vai emprestar sua experiência e guiar o time na briga pela medalha de ouro

Foto: Rafael Ribeiro / CBF / Divulgação

“Desde que se formou uma seleção e o apoio era menor, já exista cobrança. No Brasil, o segundo lugar é menos do que nada, senão teríamos uma situação melhor pelas duas pratas que conseguimos. Não podemos nos cobrar muito, das outras vezes nos cobramos muito e isso atrapalhou”, disse.

Marta sabe o gostinho de subir no lugar mais alto do pódio representando o país. A jogadora esteve presente na conquista do ouro, nos Jogos Pan-Americanos de 2007 e revela que a experiência pode contrubuir para impulsionar o grupo no Rio.

“Fizemos história no Pan, quase 70 mil pessoas na final. Estamos vivendo a expectativa de reviver o que aconteceu. Acredito que as meninas que participaram daquela conquista, agora vivem a expectativa de poder repetir isso”, falou.

A jogadora mantém o foco nos Jogos Olímpicos do Rio e deixa no ar a possibilidade de presença em Tóquio 2020 e revela que dará um jeito de ficar perto da Seleção, mesmo que não seja em campo.

“Deixa as coisas acontecerem naturalmente. Se não for como atleta, que seja como turista. O Japão é um país maravilhoso e gostaria muito de ir”, concluiu.

Readers Comments (0)